sexta-feira, 30 de março de 2012

A revolução Keynesiana

" Rompendo com o pensamento liberal da época, John Maynard Keynes foi um defensor de doutrinas intervencionistas na economia. O impacto do seu pensamento sobre as teorias e as práticas econômicas do século XX constituiu para alguns uma verdadeira revolução.
Embora considerasse a existência de forças de re-equilíbrio no campo econômico, em seu texto O Fim do Laisse- Faire (1926) e em alguns artigos preparatórios de sua obra intitulada Teoria Geral do emprego, do juro e da moeda (1936) , Keynes defendeu a tese de que esses mecanismos não são automáticos no longo prazo. Não confiava, portanto, na teoria do laisse-faire ("deixai fazer") na economia e sua "naturalidade".
Segundo Keynes, os "impulsos" dos empresários muitas vezes iam contra o que era "natural", e até que houvesse um re-equilíbrio da situação, muitas vidas poderiam ser destruídas. O Estado precisava, portanto, intervir na economia onde fosse necessário, para garantir o equilíbrio e uma maior eficiência do sistema produtivo.
Entre as idéias defendidas por Keynes, estava a de que cabia aos governos implantas políticas econômicas que garantissem o emprego dos trabalhadores. Ele também defendia uma redistribuição dos lucros , para que o poder aquisitivo dos consumidores aumentasse de forma proporcional ao desenvolvimento do meio produtivo."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário